Bispo Emérito

Dom Apparecido José Dias


1º Bispo da Diocese de Registro (1975-1996)

Dom Apparecido José Dias foi ordenado em 16 de fevereiro de 1975 e no mesmo dia, foi empossado como primeiro Bispo da então recém -criada Diocese de Registro. Ele havia sido ordenado Padre em São Paulo, em 3 de agosto de 1958, e foi Vigário de Iguape.
Com a ajuda de poucos Padres e algumas Religiosas, Dom Apparecido foi dando vida à Diocese, usando como estratégia pastoral os mutirões e as batidas, como chamavam à época, em cada município e nas comunidades. “Ele constatou a vida difícil do povo,
marcado pelo abandono e pela extrema pobreza”.

Dono de uma visão cristã e sensibilidade social aguçada, Dom Apparecido fortaleceu a presença da Igreja na vida do povo atingido por enchentes do Rio Ribeira, na defesa dos sitiantes, pequenos produtores e na atenção aos Pescadores, Indígenas e Quilombolas.

Dom Apparecido começou a atuar na região no período em que os militares ocupavam o poder político e seu trabalho chamou a atenção da polícia Política. Em fevereiro de 1982, agentes do extinto Departamento Estadual de Ordem Política e Social (DEOPS) anotaram em seus prontuários que Dom Apparecido havia coordenado comitiva, composta por 14 padres, que esteve na Praça do Una, região do Rio Verde, onde instalaram em um antigo cemitério uma placa em sinal de protesto contra a instalação de usinas nucleares na Estação Ecológica da Jureia.

A grande cheia do Rio, em 1987, penalizou centenas de famílias rurais e na periferia de Registro. Dom Apparecido propôs, à época, o projeto denominado “Vila dos Padres”, na Vila São Francisco, em que a Igreja doou pequenos lotes e ajuda com material de
construção para 28 famílias que havia perdido suas casas. Sob liderança de Dom Apparecido, a Diocese de Registro contratou advogado para solucionar conflitos pela posse da terra em áreas rurais. O projeto em defesa do homem do campo teve como
resultado a realização de Romarias da Terra, que trouxe à região a maioria dos bispos em atuação no Estado de São Paulo, amplificando a voz do campo e a situação dos posseiros.
Em defesa da vida do povo, das terras, do meio ambiente, da cultura e da história surgiu o Movimento dos Ameaçados por Barragens no Vale do Ribeira (MOAB), que comemorou recentemente 25 anos de existência. A história de luta contra a barragem é contara no livro A saga de um povo, de autoria de Maria Aparecida Mendes.

Em 1996, Dom Apparecido foi chamado pela Igreja do Brasil a assumir, em Roraima, a única Diocese existente naquele estado. Como presidente da Comissão Missionária Indigenista (CIMI), da CNBB, Dom Apparecido defendeu, lutou e acompanhou as diversas etnias indígenas da região amazônica. Enfrentou um longo conflito na Reserva Indígena Raposa Serra do Sol, sofreu humilhações e perseguições. Foram oito anos de um intenso trabalho junto aos indígenas, em nome da Igreja, pela CNBB. Tudo na grande opção de vida de viver e agir nos ensinamentos de Jesus Cristo. Um mártir à serviço da vida dos indígenas.

Dom José Luiz Bertanha


2º Bispo da Diocese de Registro (1998-2017)

Dom José Luz Bertanha, filho de José Bertanha e Rosa Tomazela Bertanha, nasceu no
dia 09/08/1942 em Cascalho – Cordeirópolis (SP).

º 1953 a 1955, frequentou os estudos elementares no Seminário Nossa Senhora do Carmo, em Araraquara (SP).
º De 1956 1963, o estudo médio e liceu nos Seminário de Ponta Grossa (PR) e de Santo Amaro (SP).
º De 1964 a 1966, cursou Filosofia no Seminário de Santo Amaro e também o primeiro ano de Teologia.
– Em 1968 e 1969, cursou o segundo e terceiro ano no Instituto de Filosofia e Teologia de São Paulo. Concluiu o curso de Teologia em 1970, no Seminário do Espírito Santo, em Santo Amaro. Fez a Profissão Perpétua em 2 de agosto de 1971, na Congregação do
Verbo Divino. Foi ordenado sacerdote a 18 de dezembro de 1971, em sua cidade natal, Cordeirópolis (SP). Em 1975, trabalhou na pastoral paroquial Nossa Senhora de Lourdes de Água Rosa (SP).
– 1973 – 1975 – Paróquia Bom Jesus – Monte Alto (SP).
– 1994 – 1998 – Reitor do Seminário Espírito Santo – Santo Amaro (SP).
– No dia 28/05/1998 foi nomeado Bispo de Registro pelo Papa João Paulo II; No mesmo dia oficializou a Posse como 2º Bispo de Registro.
– De 2007 a 2011 foi Presidente Nacional da Comissão Episcopal Pastoral para Laicato.
– 2012 – 2014 – Assessor da CEBs no Estado de São Paulo.
– De 2016 até os tempos atuais – Coordenador do Sub-regional da CNBB de Sorocaba e Assessor da Comissão Missionária do Regional Sul 1 da CNBB – Estado de São Paulo.