Biografia do Bispo Diocesano

Dom Manoel Ferreira dos Santos Júnior, MSC 

Dom Manoel F. dos Santos Jr, bispo diocesano de Registro/SP, nasceu no dia 21 de março de 1967, no bairro de Morro do Alto, na cidade de Itapetininga/SP. Filho de Manoel Ferreira dos Santos (Diácono Permanente, in memorian) e Zilda Pedroso dos Santos, é filho o mais velho de outros dois irmãos: Serafim Donizete Ferreira dos Santos e Fátima Ferreira dos Santos Pinto.

Ingressou no Seminário de Pirassununga/SP, da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração em 1981, e assim, em continuidade a sua formação, em 1982, foi para o Seminário de Itajubá/MG, onde concluiu seus estudos colegiais. Na Universidade São Francisco, em São Paulo, licenciou-se em Filosofia entre os anos 1987 e 1989. Em 1990, em Pirassununga/SP, deu inicio a seu noviciado na Congregação dos Missionários do Sagrado Coração.

Professou seus primeiros votos no dia dois fevereiro de 1991. Ano que também iniciou seus estudos teológicos na Faculdade Nossa Senhora da Assunção em São Paulo, tendo-o concluído em 1994. Assim, em 23 de janeiro de 1994, professou os votos perpétuos e recebeu as ordens menores (Leitorato e acolitato, no Santuário das Almas, na Ponte Pequena, em São Paulo).

Ainda noviço, no quarto ano da faculdade de Teologia, assumiu a função de Reitor do pré-noviciado da Província de São Paulo, concluindo ainda neste ano, seu curso de teologia. No dia 15 de maio de 1994, recebe o 1º grau da Ordem, sendo ordenado Diácono transitório por Dom Fernando Panico, MSC, Bispo de Oeiras-Floriano/PI. Foi ordenado presbítero no dia sete de janeiro de 1995, na cidade de Sarapuí/SP, onde sua família reside, por Dom José Lambert, então Arcebispo da Arquidiocese de Sorocaba. No mesmo ano foi nomeado Coordenador da Pastoral Vocacional da Província de São Paulo.

Nos anos de 1995/1996, foi nomeado Reitor do Pré Noviciano e Vigário Paroquial da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, sendo no mesmo ano, nomeado Pároco da Paróquia São Benedito e Reitor do Seminário de Teologia em São Paulo. Nestes anos, exerceu várias atividades: Coordenou a Pastoral da Casa Dia, que recuperava jovens drogados e também atuou na Pastoral Carcerária, visitando os presos do pavilhão 9 no Carandirú. De 1998 à 2002 fez Pós Graduação em nível de especialização em Teologia Pastoral na Universidade Assunção em São Paulo. Neste mesmo ano foi designado Pároco da Paróquia Santa Rita de Cássia, no Município de Pirassununga/SP e sócio do Mestre de Noviços, dando aula de espiritualidade e diretor espiritual do mesmo seminário.

Em 2002 , foi nomeado Pároco e Reitor do Santuário de Nossa Senhora do Sagrado Coração, de Vila Formosa, SP, onde permaneceu até 2008. Neste mesmo período também foi eleito “conselheiro” da Província de São Paulo. Em 2006 foi eleito e reeleito Vice Provincial da Província de São Paulo. Por quatro anos foi o pregador de retiros Inaciano (30 dias) para os Noviços de sua Congregação. Em janeiro de 2009, foi nomeado pároco da Paróquia Nossa Senhora da Soledade, nas cidades de Delfim Moreira e Marmelópolis, no sul de Minas Gerais.

Em 12 de maio de 2011 foi eleito Superior Provincial da Província de São Paulo, recebendo a posse em 17 de junho do mesmo ano. Participou ainda em setembro do Capítulo Geral da Congregação na Espanha. No dia 20 de junho de 2014, toma posse para seu segundo mandato de Superior Provincial. No mesmo ano, participou da Conferência Geral de sua Congregação, na Guatemala.

Encerrada sua função de Provincial, foi nomeado em 2017, Pároco e Reitor do Santuário Nossa Senhora Aparecida do Sul, em sua terra natal, Itapetininga/SP, onde permaneceu até meados do mês de maio de 2018, quando foi noticiada pela Santa Sé que o Santo Padre, Papa Francisco lhe elegeu novo Bispo da Diocese de Registro/SP.

Sua Sagração Episcopal aconteceu no dia 21 de Julho de 2019, no Santuário Nossa Senhora Aparecida do Sul, com uma linda celebração presidida pelo bispo diocesano daquela diocese, Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto. No dia 19 de agosto do mesmo ano, tomou posse como Terceiro Bispo da Diocese de Registro, e até então segue sua missão de evangelizar com alegria os quatro cantos de nossa amada região. Em 2018 foi indicado como bispo referencial para a vida consagrada do Regional Sul 1 da CNBB.

 

O brasão e sua descrição heráldica

 Chapéu prelatício, cordões, 12 borlas verdes e cruz  – identificam o brasão episcopal;-O chapéu com cordas e doze borlas verdes é símbolo de Cristo cabeça da Igreja e dos doze apóstolos, a cuja missão o Bispo encontra-se intimamente associado.  A cruz pastoral dourada indica que o ministério do bispo existe em referência ao ministério pastoral de Cristo e em continuidade com o mesmo. Atuando na pessoa e em nome de Cristo, o Bispo se converte para a Igreja a ele confiada, em sinal do Senhor Jesus, Pastor e Esposo, Mestre e Pontífice da Igreja.

-o contorno em amarelo: o amarelo, em heráldica, significa o ouro, simboliza o domingo e a virtude da caridade, indicando que a vida do bispo está a serviço de Deus e do próximo;

- O Monograma alusivo à Vigem Maria na cor azul, fala da natureza mariana da vocação do Missionário do sagrado Coração e da identidade de toda a Igreja que contempla em Maria a imagem perfeita do seu ser e do dinamismo de sua missão. Contemplando-a como serva fiel, aquela que está intimamente ligada ao Coração do Senhor, o bispo encontra na Virgem Maria a perfeição da santidade para a qual ele deve caminhar com todas as suas forças e à qual tende o rebanho que lhe foi confiado. O campo azul traduz justiça, a serenidade, a fortaleza que é condição indispensável ao ministério episcopal, que traduz o seguimento de todo MSC aos ensinamentos de Cristo e o seu amor por Maria.

- O Lírio representa a pureza, simboliza a esperança, inocência, castidade, humildade e a eloqüência, atributos indispensáveis ao serviço episcopal, nos remete a São José, homem fiel e silencioso, que abraçou o projeto de Deus em sua vida, paradigma adotado por Dom Manoel.

- O Coração de Cristo e a cor vermelha, simbolizam a fortaleza, bons cuidados, fidelidade, alegria e honra, além do sangue redentor do Salvador e dos santos mártires, como religioso Missionário do Sagrado Coração, é chamado à anunciar por toda parte as Riquezas insondáveis do amor de Cristo aos mais longínquos rincões.

- O jarro, bacia e toalha. O Bispo, chamado a entrar na escola do Cristo Servo e a conformar-se totalmente a Ele, é enviado a “estar no meio” do seu povo, como menor entre os irmãos, mediador e servo entre aqueles que também são chamados a servir, em espírito de comunhão, fraternidade e complementaridade.

Assim, as partições do escudo representam a origem, o destino e a base do ministério episcopal de Dom Manoel.

-O Lema: “Servi ao Senhor com alegria” – do salmo 99 – ilumina o caminho do episcopado de Dom manoel com o desejo constante de glorificar a Deus e de levar com alegria e disposição todas as pessoas ao encontro do Amor encarnado.